A Prefeitura de Ilhabela informou que com o aumento do número de casos positivos, óbitos e internados infectados com a Covid-19 na última semana, não flexibilizará no dia 22 a abertura de academias e piscinas.

A indicação partiu do Comitê de enfrentamento da doença, que acompanha diariamente o número de casos no município e da região, levando em conta não só aumento de casos, mas a ocupação dos leitos nos hospitais. “Se não desacelerar o número de novos positivos, o Comitê técnico já estuda regredir a flexibilização no município. O que vemos diariamente são pessoas sem máscaras, estabelecimentos desrespeitando as regras, festas, churrascos e aglomerações”, declarou o secretário de Saúde e presidente do Comitê de enfretamento, Gustavo Barboni.

Os membros do Comitê recebem diariamente diversas denúncias de irregularidades e a falta de comprometimento de grande parte da população. “Estamos realmente muito preocupados com as denúncias, principalmente sobre pacientes positivos, que não estão cumprindo o isolamento, saindo de casa e contaminando mais pessoas”, salientou Barboni.

A flexibilização do comércio é uma maneira de manter empregos e gerar renda. O momento não é de normalidade e sim de atenção aos protocolos e das orientações divulgados diariamente.
Mesmo com a rede hoteleira operando, as praias estão abertas apenas para atividades individuais ou em dupla, com permanência máxima de uma hora.

A Associação Comercial e Empresarial de Ilhabela foi orientada pelo Comitê, a informar aos hospedes sobre não se estabelecer na faixa de areia com cadeiras, coolers, guarda-sóis, cangas e similares, além disso, trilhas e cachoeiras também permanecem fechadas.

Todas as flexibilizações serão avaliadas semanalmente em razão do cumprimento das normas e da análise dos dados do Boletim Coronavírus, emitido pela Secretaria Municipal de Saúde de Ilhabela.

Sobre o Comitê

Desde o início da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19), o Comitê de Prevenção e Controle tem caráter deliberativo, com competência extraordinária para acompanhar a evolução do quadro epidemiológico, adotar e fixar as medidas de saúde pública necessárias a prevenção e controle do contágio, bem como ao tratamento das pessoas afetadas. É composto principalmente de profissionais da Saúde, entre eles: infectologistas, pediatras, enfermeiros, clínicos, entre outros.

Fonte/Reprodução: Radar Litoral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *